As melhores técnicas e práticas para operações de içamento em plataformas offshore, segundo as normas internacionais.
Atende a API RP 2D e NR-34.

Único curso offshore do Brasil homologado pela PETROBRAS.

Justificativa
Com o aumento da demanda por serviços de içamento de cargas offshore e conseqüentemente por mão-de-obra especializada para as atividades relacionadas, torna-se necessário formar profissionais capazes de planejar e executar com eficácia estas operações. Caso contrário, elevam-se consideravelmente os riscos de problemas nas operações, quase sempre com elevados danos materiais e humanos, fora os imensuráveis danos na imagem das empresas operadoras, contratantes e contratadas.

A quem se destina
Todos os profissionais envolvidos direta ou indiretamente e nas operações de içamento e movimentação de cargas com guindastes em plataformas offshore: gerentes operacionais, supervisores, engenheiros e técnicos, operadores de guindastes, sinaleiros, engenheiros e técnicos de segurança do trabalho e outros.

Objetivo
Capacitar o aluno a planejar, fiscalizar, supervisionar ou realizar as operações rotineiras de içamento de cargas em plataformas offshore fixas ou flutuantes, baseado nas principais normas técnicas nacionais e internacionais.

Coordenação e Professores
A coordenação técnica e a ministração do curso é feita pelo engenheiro Leonardo Roncetti, mestre e doutorando em operações de içamento offshore pela COPPE-UFRJ.

Programa:

  • ■ Motivações para o curso
    • • Motivação.
    • • Estatísticas de acidentes envolvendo guindastes offshore.
    • • Conscientização para o planejamento.
  • ■ Definições, normas e referências bibliográficas
    • • Tipos de içamento, plataformas e barcos de apoio.
    • • Profissionais envolvidos.
    • • Normas técnicas nacionais e internacionais em vigor.
    • • Legislação vigente.
  • ■ Atribuições e responsabilidades dos profissionais envolvidos
    • • Rigger.
    • • Supervisor de rigging.
    • • Amarrador e sinaleiro.
    • • Operador de guindaste.
  • ■ Unidades de medida e conversões
  • ■ Ações ambientais
    • • Onda.
    • • Vento.
    • • Corrente.
  • ■ Guindastes offshore sobre pedestal.
    • • Principais tipos.
    • • Principais componentes.
    • • Nomenclatura.
    • • Propriedades importantes.
    • • Fatores de segurança.
    • • Utilização das tabelas de carga do guindaste.
  • ■ Unitizadores de carga (contêineres, cestas, skids, caixas etc.).
  • ■ Conceitos fundamentais de amarração e içamento de cargas.
    • • Centro de gravidade e peso.
    • • Geometria da amarração.
    • • Controle e equilíbrio da carga.
    • • Força nas lingas.
  • ■ Cabos de aço para lingas: tipos, características e especificações.
  • ■ Lingas de cabo de aço, cintas têxteis e correntes.
    • • Tipos e materiais.
    • • Vantagens e desvantagens.
    • • Fabricação.
    • • Dimensionamento.
    • • Aplicações principais no içamento offshore.
    • • Exemplos através de modelos em miniatura.
    • • Identificação.
    • • Armazenamento.
  • ■ Acessórios de amarração.
    • • Dimensionamento.
    • • Exemplos de utilização.
    • • Orientações quanto à especificação e uso correto.
  • ■ Inspeção visual de lingas e acessórios de içamento.
    • • Critérios de recebimento.
    • • Critérios de aceitação e descarte.
    • • Outros meios de inspeção.
  • ■ Balancins e outros dispositivos de içamento.
  • ■ Dimensionamento do moitão e passada de cabos.
  • ■ Composição da carga para içamento.
  • ■ Realização do içamento.
    • • Equipamento de proteção individual./li>
    • • Cabo de controle e cabo de extensão.
    • • Vara de manobra.
    • • Ações antes do içamento.
    • • Amarração.
    • • Ações durante o içamento.
    • • Precauções gerais.
  • ■ Efeito do vento no guindaste e na carga.
  • ■ Planejamento do içamento rotineiro.
  • ■ Sinalização manual universal.
  • ■ Introdução ao içamento de pessoas para transbordo.
  • ■ Prática I: exercícios de aplicação e fixação.
  • ■ Prática II: planejamento de içamento rotineiro.

 

Material 100% à cores, baseado nas normas nacionais e internacionais mais recentes, bem como na boa técnica das principais oeradoradas offshore.